Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Esqueceu de um presente para alguém?

por Mäyjo, em 26.12.16

 

 

 

Se esqueceu de um presente para alguém, fica aqui um a sugestão que ainda vai a tempo e é fantástica:

Já pensou em adotar um animal selvagem em recuperação?

peneireiro-macho

Todos os anos pelo Natal dois centros de recuperação de animais selvagens unem-se para fazer uma campanha de adoção. A deste ano está em curso e permite aos aderentes dar um presente original e solidário.

 

É o tipo de presente que ninguém espera e que se destaca de todos os outros. O Cervas – Centro de Ecologia, Recuperação e Vigilância de Animais Selvagens, de Gouveia e o RIAS – Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens de Olhão unem-se todos os anos nesta campanha.

Desta forma as duas organizações angariam fundos para a manutenção dos seus centros ao mesmo tempo que proporcionam uma verdadeira experiência de aproximação ao meio selvagem a quem aderir à campanha.

Quem apadrinha um animal em recuperação tem direito a receber fotos do animal, notícias sobre a sua recuperação e assistir à sua devolução à Natureza, caso tal seja possível no termo do período de internamento. A partir de 15€ já é possível ser padrinho de um animal. Descarregue a ficha de apadrinhamento aqui.

Foto: Voando na Natureza

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:03

Corrida de Natal

por Mäyjo, em 24.12.16

AP_16339385214191_1.jpg

(AP Photo/Yorgos Karahalis)

 

Corredores vestidos a preceito, preparam-se para a Corrida dos Pais Natal, em Atenas, na Grécia.

 

Costumed runners prepare to compete in the 2016 Athens Santa Run in Greece.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:17

DICAS PARA UM NATAL MAIS SUSTENTÁVEL

por Mäyjo, em 22.12.16

natal

O Natal está quase aí! Neste período em que o estimulo ao consumo é maior, também o impacto ambiental aumenta, com o desgaste de recursos e a consequente produção de resíduos, com o aumento do uso energético e produção de gases com efeito de estufa.

 

A associação ambiental Quercus deixa aqui algumas ideias e sugestões para um Natal mais sustentável, sempre tendo em mente o respeito pelo ambiente, o apoio a projectos sociais e a redução de custos.

Aqui ficam as dez dicas para um Natal sustentável:

1- Escolher a árvore de Natal: se vive numa zona urbana (sem jardim ou quintal) opte por uma árvore artificial que possa reutilizar durante vários anos. Ao optar por um pinheiro natural, escolha com raiz se tiver oportunidade e espaço para os plantar novamente, depois de terminar este período festivo. Uma outra opção passa por usar como árvore de Natal os ramos provenientes de podas e cortes responsáveis feitos na floresta

2- Quando iniciar as decorações: inicie as decorações com a época natalícia (que deverá coincidir com o início do advento, último fim de semana de Novembro) evite, assim, o desperdício de recursos ao começar demasiado cedo

3- Luzes de Natal: opte pelo uso de lâmpadas mais eficientes e de menor consumo energético. Não deixe as luzes acesas em períodos em que não se encontra ninguém em casa ou a família está a dormir

4- Decorações: faça as suas próprias decorações de Natal reutilizando materiais ou, em alternativa, adquira artigos produzidos por Associações de carácter social ou a artesões locais que utilizem produtos sustentáveis

5- Preparativos: utilize os transportes públicos nas suas deslocações

6- Presentes: na oferta de prendas alimentares prefira produtos de origem nacional e, se possível, de modo de produção biológica; em produtos de perfumaria, cosmética ou higiene pessoal, escolha marcas com produtos naturais, biológicos e que não fazem testes em animais (consultar a listagem disponibilizada pela Liga Portuguesa dos Direitos do Animal); em equipamentos eléctricos e electrónicos é importante informar-se previamente quais as marcas mais seguras e ambientalmente mais sustentáveis (consultar páginas da Greenpeace e do projecto Topten.pt da Quercus). Ofereça sobretudo o seu “tempo” como presente, através de visitas aos amigos, familiares e aos mais necessitados

7- Embrulhos de Natal: aposte na reutilização desde o papel de embrulho e adereços, aos sacos, frascos, caixas e outros materiais com potencial de reaproveitamento

8- Ceia de Natal: de modo a evitar o desperdício de alimentos, faça uma lista de compras do que é mesmo necessário, e evite o consumo de produtos demasiado embalados. O ideal é confecionar a maior parte dos pratos e sobremesas em casa, privilegiando produtos locais/regionais/nacionais, adquiridos no comércio local e, se possível, de origem biológica e/ou provenientes de redes de comércio justo. Algumas cooperativas locais promovem a comercialização de cabazes de produtos da zona, privilegiando o contacto direto entre produtor e consumidor, e reduzindo a pegada de carbono destes alimentos

9- Fritos de Natal: recolha o óleo alimentar utilizado nas frituras dos doces de natal e entregue-o para reciclar num ponto de recolha próximo da sua residência

10- Resíduos: faça a separação dos diferentes resíduos, reutilize os papéis de embrulho e os laços decorativos e encaminhe os diferentes materiais para reciclagem utilizando os ecopontos. Adie alguns dias a deposição dos resíduos não orgânicos de forma a evitar a acumulação de lixo nos contentores

Foto: via Creative Commons

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:05

Feliz Natal!

por Mäyjo, em 24.12.15

feliz natal.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 21:55

Árvores de Natal utilizadas para entreter leões em zoo inglês

por Mäyjo, em 06.01.15

Árvores de Natal utilizadas para entreter leões em zoo inglês

Agora que a época festiva está a terminar, o destino de muitas árvores de Natal é acabar no caixote do lixo. Mas no condado de Cambridgeshire, em Inglaterra, está-se a reciclar as árvores de uma forma pouco convencional.

Várias árvores de Natal têm sido dadas aos leões do Jardim Zoológico de Linton como brinquedo. De acordo com os tratadores dos animais, as árvores entretêm e divertem os leões durante várias horas, escreve o Daily Mail.

“Já foram doadas várias árvores e muitas outras estão a caminho, o que vai permitir mais horas de diversão para os leões”, indica Kim Simmons, directora do zoo. Pensa-se que os leões gostam de brincar com as árvores pois estas contêm nepenta, também conhecida como erva-de-gato, uma planta da família da menta, que pode causar euforia nos felinos.

Para que os animais se possam divertir durante mais alguns dias, o zoo aceita doações de árvores dos habitantes locais, que além de servirem de brinquedo para os leões são também queimadas no bio-combustor do zoo para produzir aquecimento para as jaulas dos animais.

As Árvores que ainda possuem raízes estão a ser replantadas num bosque do zoo que alberga mochos e corujas. Este é o terceiro ano que o zoo de Linton pediu aos habitantes locais para doarem as suas árvores de Naral sem uso. Este ano, o número de árvores doadas já vai no dobro do último ano.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:29

Feliz Natal na lingua oficial de cada país europeu

por Mäyjo, em 25.12.14

10325208_636966226414165_1436200072474758466_n.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:16

Campanha da SPV mostra as diversas formas de separar os resíduos de embalagem

por Mäyjo, em 25.12.14

Campanha da SPV mostra as diversas formas de separar os resíduos de embalagem

Neste Natal, a Sociedade Ponto Verde mostra aos portugueses as muitas formas de separar e de reciclar. Seja através da utilização de ecobags, da reutilização de caixas, de recipientes, ou de sacos coloridos, segundo a SPV, o mais importante é levar todos os resíduos até ao ecoponto. É esta a mensagem principal da campanha que a Sociedade Ponto Verde estreia nesta época festiva em rádio e imprensa.

“A época que atravessamos é pródiga ao nível da geração de resíduos. No entanto, com o contributo de toda a população, há formas de minimizar o impacto que estes têm no ambiente, como o uso de papel de embrulho reciclado e de decorações natalícias duráveis, a não utilização de loiça e talheres descartáveis e, como não poderia deixar de ser, a separação e a deposição dos resíduos de embalagens no ecoponto adequado, nomeadamente o vidro que, nesta altura das festas, é muito utilizado”, explica Luís Veiga Martins, director-geral da Sociedade Ponto Verde.

A necessidade de manter a sensibilização para a reciclagem foi uma das razões que levou a Sociedade Ponto Verde a lançar esta campanha nesta altura do ano. Depois de utilizadas, as embalagens usadas deverão ser separadas e transportadas até ao ecoponto mais próximo utilizando ecobags, sacos de lixo coloridos ou, entre outros, sacos reutilizáveis. A campanha alerta para as muitas formas que existem para separar as embalagens para contribuir de forma positiva para o ambiente e para a criação de riqueza para o País.

De forma a incentivar a separação doméstica de embalagens usadas, clarificar as regras da reciclagem a todos os que já separam e recolher dados sobre os hábitos e atitudes de reciclagem, a Sociedade Ponto Verde tem em curso, desde dezembro de 2013, a Missão Reciclar, a maior iniciativa de sensibilização para a reciclagem de embalagens alguma vez realizada em Portugal.

Até final de 2014 já foram visitados 1,2 milhões de lares. No final da ação, em meados de 2015, a Missão Reciclar terá contactado 2 milhões de lares e equipado mais de 340 mil lares com ecopontos domésticos. A ação é coordenada com os Municípios e os Sistemas Municipais, proporcionando as condições para que um número cada vez maior de portugueses possa separar os seus resíduos de embalagem para que estes sejam encaminhados para reciclagem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:52

Natal 2014

por Mäyjo, em 25.12.14

Basílica de São Pedro

Cidade do Vaticano

41 ° 54'8 "N 12 ° 27'12" E

 

Feliz Natal!

Basílica de São Pedro, localizado dentro da Cidade do Vaticano, é considerado como um dos mais sagrados locais católicos e uma das maiores igrejas em toda a cristandade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:24

Fogueiras de Natal - Aquecer a noite do Menino Jesus

por Mäyjo, em 24.12.14

Fogueiras de Natal - Aquecer a noite do Menino Jesus

«Fogueira de Natal», «fogueiras do Menino», «fogueiras da Consoada» ou «fogueiras do galo». Muitos são os nomes dados a uma mesma tradição portuguesa. Os rapazes, em Dezembro, começam a juntar madeiros e cepos no largo principal da localidade. O lume gigante será aceso na noite de 24 de Dezembro «para iluminar o nascimento de Cristo». A Sul, na vila de Barrancos, cumpre-se esta tradição. É o ponto de partida para uma viagem pelas fogueiras do Natal.

Os sinos da Igreja tocam. O som ritmado dá início à procissão em honra da padroeira, Nossa Senhora da Conceição. Em Barrancos, o 8 de Dezembro é feito de tradições ancestrais e nem o frio que se sente afasta miúdos e graúdos das 
ruas íngremes da vila alentejana. No sobe e desce de artérias estreitas com varandas, neste dia decoradas com mantas, as mais bonitas da casa, a padroeira a todos abençoa. O Natal em Barrancos começa assim.

Os sinos voltam a badalar. A Santa recolhe à Igreja, no Largo da Liberdade. Fecham-se as portas do santuário e inicia-se um outro ritual: os mais novos trazem do campo, arrastando pelas ruas, os primeiros troncos para a fogueira de Natal. Faltam 16 dias para a noite de 24 de Dezembro. Todos os dias até à noite de Natal se depositarão troncos na fogueira. Antigamente, a madeira carregava-se com a força dos braços desde o campo até ao centro da vila. Hoje um tractor trata dos troncos maiores.

Acumulam-se os madeiros, cepos, galheiros no centro do Largo da Liberdade. Uma tradição que apela ao convívio e união característicos da quadra e que se repete um pouco por todo o país. A «fogueira de Natal» é também denominada como «fogueiras do Menino», «fogueiras da Consoada» ou «fogueiras do galo».

«Sob a influência da Igreja, a fogueira profana de adoração solar dos Romanos passou a ser cristianizada e a servir de ritual cristão ao culto divino testemunhado na quadra natalícia a Jesus Cristo - considerado o verdadeiro símbolo do Sol que vai nascer, para iluminar todo o homem que vem ao Mundo», explica Soledade Martinho Costa no livro «Festas e Tradições Portuguesas: Novembro/Dezembro».

As tarefas nesta quadra estão bem definidas. As raparigas enfeitam a Igreja para a Missa do Galo, momento religioso que celebra o nascimento de Cristo, enquanto os rapazes roubam os madeiros que serão queimados à noite.

Noutros tempos, os interessados em colaborar eram chamados com o auxílio de um búzio. Envolviam as rodas dos carros de bois com ‘baraços’ de palha de modo a evitar o barulho, para que tudo se processasse no maior silêncio. O transporte, conforme a tradição, continua a ser feito, por vezes, em carro roubado ou utilizado sem autorização dos respectivos donos, puxado por animais, ou empurrado pelos próprios rapazes, num específico rito sagrado, embora, actualmente, seja mais vulgar a utilização dos tractores com o respectivo reboque», lê-se no mesmo livro.

Utilizava-se lenha roubada por se acreditar que «a lenha assim ardida protegia o lar e a família». Estes rituais têm lugar na vila alentejana de Barrancos, protagonista nesta história, mas também noutras localidades como Juncais, Fornos de Algodres, na Guarda, Sernancelhe, em Viseu, Lardosa, em Castelo Branco.

De acordo com Soledade Martinho Costa, «na Antiguidade, o ritual sagrado do fogo, ou lume novo, acontecia por ocasião do solstício do Inverno, com as fogueiras acesas tendo por intenção que o Sol voltasse a brilhar com maior intensidade, temendo-se, particularmente nas comunidades rurais, que as trevas afastassem definitivamente a luz e o calor, situação que correspondia a um acentuado declínio da luz solar e respectiva diminuição gradual do sistema diurno, até ao culminar no dia menor do ano – o dia de Natal».

A 24 de Dezembro, com o entardecer, acende-se o lume. Fica a ganhar força, enquanto dentro de portas se convive em torno da mesa. A Sul come-se peru e bacalhau, este mantém-se nas tradições nortenhas ao qual se junta, nas beiras, o polvo. Os doces ficam já para saborear na rua com a família e vizinhos. Em torno da fogueira comem-se filhoses, sonhos, grelham-se febras e os enchidos. A noite é longa e acompanhada por artistas da terra, toca-se concertina, canta-se ao desafio.

Na vila alentejana, o lume arde frente à Igreja que se enche para a Missa do Galo. Fecham-se portas. Dentro faz-se silêncio. Fora fica um burburinho que aguarda o final da missa para se elevar. Mais uma vez os sinos assinalam o fim do acto religioso. Abrem-se as portas da Igreja.

Em Barrancos, começam a tocar as zambombas (em Espanhol). Uma tradição que chega pela proximidade com Espanha (a localidade espanhola mais próxima está a oito quilómetros). O instrumento é tocado pelas festividades natalícias e é considerado de percussão. Trata-se de um tambor de fricção.

O instrumento é composto de um objecto cilíndrico, construído por exemplo em madeira ou cerâmica. Uma das extremidades do cilindro é fechada com pele. No centro da pele faz-se um pequeno orifício através do qual se faz deslizar uma vara. É a fricção da vara na pele que produz o som grave deste instrumento. A festa que reúne a vila em torno do lume gigante do centro da localidade vai durar até ao raiar do Sol.

De Norte a Sul do país, o povo ficará com a missão de manter as fogueiras acesas até ao dia 6 de Janeiro, Dia de Reis. Manda a tradição que se deve manter quente o Menino.
 
in: http://www.cafeportugal.pt/
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:51

FELIZ NATAL!!!!!!

por Mäyjo, em 24.12.14

Um Natal bem encalorado para quem está no hemisfério sul...

...e gelado, mas cheio de muito calor humano, para quem mora ou veio passear no hemisfério norte!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:01


Este blog disponibiliza informação com utilidade para quem se interessa por Geografia. Pode também ajudar alunos que por vezes andam por aí desesperados em vésperas de teste, e não só, sem saber o que fazer...

Mais sobre mim

foto do autor


Siga-nos no Facebook

Geografando no Facebook

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Junho 2019

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D